Articles, Blog

Quem vota no Oscar?


Uma organização misteriosa. Formada por pessoas ricas, poderosas e influentes. Ninguém sabe muito bem quem são ou o que
realmente fazem. Poderíamos estar falando dos Illuminati,
mas é só a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Durante a temporada de premiações, nós
ouvimos falar bastante dela. Já que a Academia organiza o Oscar e seus
membros escolhem os candidatos e vencedores de todas as categorias. Mas, afinal, o que é a Academia? Quem faz parte dela? E mais importante, quem vota no Oscar? A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas
é uma organização formada por integrantes da indústria do cinema. E que tem como objetivo incentivar o avanço
da Arte e da Ciência relacionada a produção de filmes. Ela faz isso através da organização de
eventos, como encontros com especialistas da área e premiações anuais. Além disso, a Academia mantém um dos maiores
e mais diversos arquivos de filmes do mundo, uma Biblioteca e um Museu A ideia inicial da Academia veio de Louis
B. Mayer, produtor de cinema e co-fundador da
MGM, que teve a ideia quando foi construir sua casa de praia. Ao invés de contratar um arquiteto e uma
empreiteira, como uma pessoa normal, Mayer resolveu usar o próprio estúdio. Já que segundo ele “Quando uma casa precisa
ser construída para um filme, ela é construída do dia para a noite”
Mas, durante esse processo, Mayer descobriu que carpinteiros, pedreiros e eletricistas
do estúdio agora faziam parte de Sindicatos. Com isso, ele teria que pagar hora extra para
todos eles. Com medo da possibilidade de que um dia atores,
diretores e roteiristas também formassem sindicatos, ele teve a ideia de começar uma
organização que mediasse disputas trabalhistas sem a necessidade desses temidos sindicatos. Ele, então, reuniu 36 membros da indústria
cinematográfica para um jantar, adicionou a função de melhorar a imagem do cinema
e estava formada a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. É claro que, Mayer acabou se dando mal, já
que todas as áreas de Hollywood acabaram formando seus sindicatos. Mas, mesmo assim, a Academia continua suas
atividades até hoje. Com um número de membros que já ultrapassa
a marca dos 8000. Um dos grandes mistérios que cerca a Academia
é que ninguém sabe exatamente quem são todos essas pessoas. E há até tentativas de catalogar todos os
membros, como o The Academy Members Project promovido pelo site Never Too Early Movie
Predictions. Mas, apesar, de nos últimos tempos a Academia
ter até divulgado os novos membros que entram a cada ano, só eles tem essa informação
completa. Mas, e aí? Como alguém se torna um membro dessa Academia
e ganha direito de votar no Oscar? O jeito mais simples é ser indicado a um
Oscar. Todos os indicados são automaticamente considerados
a um lugar na Academia como membro da categoria a que foi indicado. Ou seja, se você for indicado ao prêmio
de Melhor Ator, você é automaticamente considerado para fazer parte da categoria de atores da
Academia. Mas, se por acaso, alguém for indicado em
mais de uma categoria, ela deve escolher de qual delas quer fazer parte. Então, um cineasta indicado a Melhor Roteiro
e Melhor Direção, deve decidir se deseja fazer parte da categoria dos roteiristas ou
diretores. Caso seja aprovado como membro. Alguns brasileiros entraram na Academia dessa
forma, sendo indicados ao Oscar. Como os responsáveis por Cidade de Deus,
Fernando Meirelles, Braulio Mantovani e Daniel Rezende. Mas só Daniel Rezende costuma votar no Oscar
já que Mantovani e Meirelles dizem não ligar muito para o prêmio e nem pagar mais a anuidade
de 250 dólares. Mas não é preciso ser indicado a um Oscar
para se candidatar a uma vaga na Academia. Outra maneira é através da indicação por
dois membros da categoria na qual a pessoa quer fazer parte. Mas não é qualquer pessoa que pode ser indicada. Primeiro, ela deve ter demonstrado uma realização
excepcional em sua área. O que é uma classificação muito vaga, mas
que serve pra garantir que ninguém vai aparecer com o Eri Johnson como candidato. Depois, existem alguns critérios específicos
de cada categoria. Atores, por exemplo, devem ter crédito em,
no mínimo, três filmes. Com papéis roteirizados. Então, nada de figurantes. Os filmes tem que ter sido lançados nos últimos
5 anos. E as atuações devem ser no nível de um
Membro da Academia. Já maquiadores e cabeleireiros, além de
ter crédito como supervisores de sua área em pelo menos 5 filmes, devem ter no mínimo
7 anos de experiência. Se nenhum desses critérios for cumprido,
uma pessoa ainda pode ser considerada para fazer parte da Academia se tiver feito algo
incrível e inovador na opinião dos membros do comitê da categoria. Depois disso, o Conselho de Diretores, formado
por um representante de cada uma das 17 categorias de membros, avalia cada um dos candidatos
e decide qual será convidado. Mas nem mesmo ganhar a premiação garante
um lugar. Kobe Bryant ganhou um oscar pelo curta de
animação por Dear Basketball mas mesmo assim não foi convidado. E a diretora de Cenografia Beverley Dunn,
ganhou um Oscar pelo filme O Grande Gatsby em 2013 e mesmo assim não foi convidada no
ano seguinte. Mas, em 2017, tudo mudou para Beverly. Que, finalmente, recebeu o seu convite em
meio a uma tentativa da Academia de aumentar a diversidade entre seus membros. Já que em 2014, 94% deles eram brancos, 76%
Homens e com uma média de idade de 63 anos. Além de Beverly foram convidados nos últimos
anos a atriz Gal Gadot, Dwayne Johnson, Riz Ahmed e até Terry Crews. Alguns brasileiros também passaram a fazer
parte dessa lista. Como Rodrigo Santoro, Alice Braga e as diretoras
Petra Costa e Maria Augusta Ramos. Com essa iniciativa, a Academia aumentou seu
número de membros femininos de 24% para 31% e de pessoas de cor para 16%. Ainda longe da meta divulgada de dobrar o
número de membros desses grupos até 2020. Mas, o que de alguma forma, já mostra uma
melhora. Fazer parte de um grupo com Gal Gadot e Terry
Crews parece muito divertido. Mas a verdade é que os membros da Academia
quase nunca se encontram. No máximo se esbarram em exibições de filme
ou em alguma festa. E a grande maioria nem vai a cerimônia do
Oscar; Já que o Dolby Theatre, onde acontece o evento,
tem 3400 lugares. Que são ocupados pelos indicados, os apresentadores
e convidados. O resto é sorteado entre os membros. Mas vários deles acabam nem indo. Ta, se você não vai nem ao Oscar, então,
qual é a vantagem de fazer parte da Academia? Entre os benefícios de ser um membro da Academia
de Artes e Ciências Cinematográficas estão: Uma carteirinha
Um boletim de noticias. Exibições gratuitas durante todo o ano. Acesso a biblioteca da Academia
Muitos convites para festas de estúdios loucos para ganhar um Oscar com seus filmes. E o direito de votar no Oscar. Todos esses benefícios costumavam ser mantidos
eternamente. E indicados e vencedores do Oscar continuam
a ganhar automaticamente essa posição vitalícia. Mas, a situação mudou para algumas pessoas
em meio a tentativa de diminuir um pouco a idade média dos votantes no Oscar. Agora uma pessoa mantém sua posição como
membro por 10 anos e tem essa posição renovada se foi ativo na última década. Apenas após 3 renovações é que a posição
se torna vitalícia. Mas, os membros que não seguirem esse critério,
passam ao status de Membro Emérito, deixam de pagar a anuidade e perdem apenas o direito
de votação no Oscar. De qualquer jeito, o benefício de assistir
sessões de cinema de graça, que chegam a 5 por final de semana, continua eternamente. A não ser que você seja como o ator Carmine
Caridi de O Poderoso Chefão e ache uma boa ideia vender um VHS que uma produtora mandou
para você avaliar um filme para o Oscar. Ou se você for o Harvey Weinstein. Mas aí você tem mesmo que se fuder. Na realidade, a Academia de Artes e Ciências
Cinematográficas é bem diferente da sociedade secreta e misteriosa que muitos imaginam. São só pessoas que pagam 250 dólares por
ano pra assistir filmes de graça e votar no Oscar. Ou, pelo menos, é isso que eles querem que
você pense.

5
Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *